Indice.jpg

CAMINHO DE SANTIAGO

Logo-Caminos a Santiago-WEB.jpg
Escolha um idioma

(Tradução feita do espanhol com o Google Translate)

INFORMAÇÕES COMUNS A TODAS AS ROTAS

Catedral de Santiago-2-WEB.jpg

A Santa Sé decretou a prorrogação do Ano Santo de 2021 até o ano de 2022 devido às circunstâncias excepcionais que envolveram sua celebração devido à pandemia de covid-19.

(Última atualização: 04-07-2021)
 
SEGURO COVID

A Xunta de galicia contratou seguro para o coronavírus com a empresa Europ Assistance

que abrange peregrinos e turistas que visitam a Galiza.

Cobre custos de saúde (médicos, cirúrgicos, farmacêuticos e hospitalização), acomodação (devido à quarentena obrigatória por prescrição médica) ou transporte (devido à repatriação médica) derivados de um possível caso de infecção por covid-19, incluindo membros da família ou companheiros do viajante. Será gratuito para todos os visitantes com residência fora da Galiza que se hospedem em estabelecimento regulado da comunidade galega. A única condição é que o viajante não tenha contraído a doença antes de chegar à Galiza e não tenha feito a viagem quando esta é desencorajada ou proibida pelas autoridades de saúde de origem.

Entrevista realizada em 30/06-2021 com o presidente da Xunta de Galicia, Alberto Núñez Feijoo:
Entrevista a Núñez Feijoo realizada el 30-6-2021
00:00 / 04:23
 
 
ORIGEM DO CAMINO DE SANTIAGO
LIGAÇÃO DO APÓSTOLO SANTIAGO COM COMPOSTELA

Santiago el Mayor, filho de Zebedeo e Salomé, irmão de João Evangelista, nasceu em Jaffa.

Ele foi um dos quatro primeiros discípulos escolhidos por Jesus, seus favoritos:

Pedro, Andrés e os irmãos Santiago e Juan. Esses apóstolos foram testemunhas de momentos muito especiais da vida de Jesus: entre eles a transfiguração e a agonia. Santiago tinha um caráter impulsivo e apaixonado, por isso Jesus o chamou de "filho do trovão". Ele começa seu trabalho apostólico em Jerusalém. Mais tarde, de barco, chegou a um porto da Andaluzia, continuando por terras portuguesas até chegar a Iria Flavia na Galiza. Mais tarde, ele retornaria à Palestina, morrendo decapitado em Jerusalém sob Herodes Agripa.

Ele é o apóstolo que mais longe de Jerusalém prega os ensinamentos de Jesus Cristo e o primeiro apóstolo a morrer martirizado.

De acordo com São Jerônimo, havia sido providenciado que, como os Apóstolos iam a todos os lugares da terra para pregar o evangelho, cada um deles descansaria na província em que haviam pregado o evangelho.

O bispo León (bispo de Jerusalém), conta em uma epístola dirigida aos francos, vândalos, visigodos e ostrogodos que, em um sínodo, quatro dos discípulos de São Tiago Maior apareceram a ele e disseram-lhe que haviam recolhido o corpo do apóstolo. e eles o haviam levado de navio para a Galiza. No final da epístola, o bispo León exorta a cristandade a viajar ao lugar e rezar porque "Santiago certamente jaz escondido ali". (Cinco versões principais desta epístola são preservadas com ligeiras variações de uma para a outra).

As conclusões da referida epístola foram recolhidas pelos martirológios que circularam por todo o Ocidente.

Consequentemente, de acordo com a tradição (possível lenda), seu cadáver foi roubado por seus discípulos Atanásio e Teodoro e levado para Iria Flávia. Ao chegar à terra firme, os discípulos colocaram o corpo de Santiago sobre uma grande laje que "com o peso e como se fosse cera derretida" se transformou em um túmulo que carregavam numa carroça puxada por bois. Durante o transporte, quando chegaram à floresta Libredón, os bois se recusaram a continuar. Este foi considerado um sinal divino e foi escolhido como local de sepultamento. Eles colocaram o corpo do apóstolo em uma arca de mármore, arca de mármore e o enterraram.

SANTIAGO EL MAYOR-web.jpg

No Breviário dos Apóstolos, de finais do século VI, fala da pregação de Santiago na Espanha e do seu sepultamento na Arca Marmárica.

Santo Isidoro de Sevilha em seu tratado "De ortu et obitu patrium" também diz que Santiago pregou na Espanha e está sepultado na Arca Marmárica.

Na segunda metade do século 7, Beda, o Venerável, descreve com precisão onde o corpo do apóstolo está localizado.

Mais tarde, na época do Rei Mauregato (Rei das Astúrias entre 783 e 789), o hino “O Dei Verbum” (atribuído ao Beato de Liébana) foi composto no qual Santiago el Mayor é descrito como “a cabeça de ouro da Espanha, nossa protetor e patrono nacional ”.

Sepuldro de Sanciago-WEB.jpg

Concordia de Antealtares (datada de 1077) conta que um eremita chamado Pelayo que viveu em Solovio, na floresta Libredón, entre 820 e 830 DC, observou brilhos misteriosos à noite. Ele informa ao bispo de Iria Flávia (Teodomiro) que, quando vai ao local, descobre que a luz marcou o local onde estava enterrada a Arca Marmárea. No sepulcro, havia três corpos atribuídos a Santiago o Maior e seus discípulos Teodoro e Atanásio.

Lugar_en_que_vivia_el_ermitaño_Pelayo-WE

Teodomiro informa ao Rei Afonso II, o Casto, que tinha residência em Oviedo. O rei que cresceu no mosteiro de Samos recebe a notícia com entusiasmo e decide viajar para o local pela rota:

Oviedo, Alto del Acebo, Lugo, Melide, Santiago.

Ao chegar ao "Campo de Estrellas" (Compostela), mandou construir uma pequena igreja (encontrada em escavações arqueológicas). Teodomiro transferiu a sé episcopal para este local e morreu em 847 (sua lauda sepulcral apareceu em escavações arqueológicas).

Tumba de teodomiro en la Catedral de San

Alfonso II El Casto é considerado o primeiro peregrino a

Santiago de Compostela.

Y

o caminho seguido por ele:

"Oviedo, Alto del Acebo, Lugo, Melide, Santiago"

atualmente é chamado

ESTRADA PRIMITIVA

Alfonso II el Casto-WEB.jpg

Afonso III o Grande fez uma peregrinação a Santiago em 872 e o fez novamente acompanhado de sua esposa Jimena em 874, doando ao apóstolo uma cruz de ouro e pedras preciosas que desapareceu em 1906. Em 2004 foi construída uma réplica, que é o que podem ser observados atualmente.

Alfonso III El Magno.jpg
Cruz donada por Alfonso III-WEB.jpg

Alguns peregrinos proeminentes do século 10 são: Bretenaldo em 930; Rei Ramiro II em 932; O bispo Gotescalco de Le Puy em 950; o abade Cesáreo de Santa Cecilia de Montserrat que aumentou o prestígio de Compostela como sede da península ocidental.

INÍCIO DA PEREGRINAÇÃO PARA COMPOSTELA

Os eventos acima mencionados são divulgados oralmente em toda a Europa. Além disso, o local ficava perto de Finisterra e acreditava-se que o mundo terminava ali e que o oceano Atlântico era o túmulo do sol.

Assim surge, o componente místico

do Caminho de Santiago:

"caminhe para alcançar o além."

Finisterra poderia ser alcançada de qualquer lugar da Europa, seguindo a Via Láctea. Assim, a Via Láctea também é conhecida como "Caminho de Santiago".

Via Lactea-WEB.jpg

Na Idade Média os peregrinos costumavam sair em grupos para se protegerem e toda a cidade saía para se despedir, pois alguns nunca voltavam, vítimas das dificuldades da estrada, de doenças ou de bandidos e bandidos.

Por outro lado, durante os séculos IX e X, os árabes realizaram várias incursões militares pela península.

Os reis asturianos e leoneses consideram que o túmulo do apóstolo Santiago, o discípulo preferido de Jesus, pode ser útil para consolidar o seu reino e a cultura cristã perante os muçulmanos, bem como para se dar a conhecer ao resto do cristianismo europeu.

Santiago matamoros-museo del prado-WEB.j

Eles fazem de Santiago el Mayor o porta-estandarte dos exércitos cristãos e é criada a lenda de sua gloriosa intervenção na batalha de Clavijo. Desde então, os exércitos cristãos vão para a batalha com o grito:

"Santiago e fecha a Espanha"

Em 899 Alfonso III, El Magno, consagra uma nova catedral. No ano 977 Almanzor destrói Santiago embora respeite o túmulo do apóstolo.

A ordem de Cluny ecoa o prestígio de Compostela e durante o século XI promoveu peregrinações a Santiago. Em troca, os reis cristãos fazem doações generosas aos seus mosteiros.

Ao longo do século XI, o afluxo de peregrinos se intensificou e pontes e hospitais começaram a ser construídos nos enclaves necessários. Uma rota principal começa a ser estabelecida com suas respectivas estações (Caminho Francês).

CATEDRAL ATUAL

Em 1073, o bispo Diego Peláez e o rei Alfonso VI iniciaram a construção da atual catedral.

Catedral de Santiago-WEB.jpg
ARCHBISHOP DIEGO GELMÍREZ

O primeiro arcebispo de Santiago de Compostela, Diego Gelmírez, nasceu no castelo Torres del Oeste em Catoira, onde seu pai, Gelmirio, membro da baixa nobreza, era o governador do castelo do bispo Diego Peláez. Ele se destacou desde jovem por seu talento. Talvez ele tenha estudado em Paris e em alguns conventos franceses da ordem de Cluny.

Definitivamente, promoveu a construção da atual catedral.

Ele promoveu muito a peregrinação a Santiago, que se torna uma meta da peregrinação cristã no mesmo nível de Roma e Jerusalém.

Arzobispo Gelmirez-WEB.jpg
PEREGRINOS, ROMEROS E PALMEIRAS

Aqueles que chegaram a Santiago de Compostela foram chamados de "PEREGRINOS"; Aqueles que viajaram para Roma foram chamados de "ROMEROS" e aqueles que foram para Jerusalém foram chamados de "PALMEROS".

Os peregrinos a Santiago foram muito numerosos, geralmente cristãos de toda a Europa, que criaram um enquadramento social, cultural, religioso e económico ao longo das estradas que conduziam a Santiago de Compostela. A ordem de Cluny criou vários mosteiros ao longo do caminho.

Na Idade Média os peregrinos costumavam sair em grupos para se protegerem e toda a cidade saía para se despedir, pois alguns nunca voltavam, vítimas das dificuldades da estrada, de doenças ou de bandidos e bandidos.

INFLUÊNCIA DOS FRANCISCANOS

Em 1214, San Francisco de Asís fez uma peregrinação a Santiago e fundou o convento de San Francisco. Do primeiro edifício, apenas cinco arcos pontiagudos são preservados no claustro principal. O novo claustro foi construído por Ginés Martínez em 1607. A igreja foi construída por Simón Rodríguez em 1742.
Foi declarado Monumento Histórico Artístico em 1986.

Convento de San francisco en Santiago.jp
Convento de San francisco en Santiago-2.

O trabalho educativo, evangelizador e fraterno dos franciscanos aumenta a popularidade da peregrinação a Santiago

INFLUÊNCIA DE SAN AGUSTÍN

Na Idade Média surge uma religiosidade popular, cuja forma mais visível era a peregrinação, de acordo com a obra de Santo Agostinho que desenvolveu a ideia de que

 

a vida é apenas um caminho, uma peregrinação à outra vida.

 
 
O CAMINO DE SANTIAGO COMO NÚCLEO INTEGRANTE DA EUROPA

O Caminho de Santiago foi um meio de comunicação, gerador de uma vida social e económica que deu origem à formação de cidades e vilas e, consequentemente, a uma transformação da paisagem. Tem sido a chave para o desenvolvimento de várias culturas europeias. Os percursos jacobinos têm favorecido a comunicação e a troca de ideias, técnicas e projetos que, a partir das crenças religiosas, geraram ao longo dos séculos um conjunto de formas culturais próprias, comuns a todos os povos europeus. Os grandes movimentos culturais e artísticos como o românico, o gótico, as cantigas e as canções de ação espalharam-se pela Europa criando uma cultura comum.

RUTAS EUROPEAS DEL CAMINO DE SANTIAGO-WE
CODEX CALIXTINUS

É uma compilação em cinco livros de todos os textos litúrgicos, tradições jacobinas, milagres e memória do caminho de peregrinação, feitos em Compostela no século XII. Começou nos tempos de Diego Gelmírez (1100-1140) e foi concluído na década de 1170-1180 com o acréscimo de alguns fólios com notação musical, que constituem as polifonias mais antigas do Ocidente.

  • Livro I: compila os textos litúrgicos (missas, homilias, sermões) em homenagem ao apóstolo. No sermão Veneranda morre, é sobre o significado da peregrinação na Idade Média.

  • Livro II: compila os 22 milagres mais famosos de Santiago el Mayor.

  • Livro III: dedicado à transferência do corpo de Santiago de Jerusalém para a Galiza.

  • Livro IV: dedicado às aventuras do Imperador Carlos Magno na Espanha. A luta de Carlos Magno e de heróis como Roldán contra os muçulmanos, a descoberta do túmulo de Santiago, a construção da cidade de Santiago e a liberação da rota de peregrinação são narradas.

  • Livro V: descreve as estradas para Santiago na França e Espanha. Inclui o Liber Sancti Iacobi.

  • Apêndice musical ao códice. A polifonia mais antiga da Europa. Coleção de vinte e uma peças possivelmente de músicos franceses que trabalharam no scriptorium da catedral de Santiago.

Codex calixtinus-WEB.jpg

O livro mais conhecido do Codex é o livro V. Aymeric Picaud, um monge francês do século 12 que fez o Caminho de Santiago. É autor de Liber Sancti Iacobi, considerado o primeiro guia do Caminho de Santiago, incluído no livro V do Codex Calixtinus, no qual é narrado o Caminho da França a Santiago. Faz-se referência aos perigos do Caminho porque, durante a sua peregrinação, foi atacado por bandidos que mataram os seus cavalos. Ele também criticou os pedágios, chamados de "portázagos" na época (pagamentos que os viajantes deviam fazer por direitos de passagem sobre estradas ou pontes), achava que os nobres da região estavam aproveitando a situação.

Descreve os elementos geográficos, costumes, anedotas e perigos da peregrinação, distâncias entre cidades, santuários e monumentos, bem como observações sobre gastronomia, água potável, caráter das pessoas e costumes das cidades. Inclui uma lista de doenças curadas por Santiago.

Aymeric era o secretário pessoal do Papa Calisto II, a quem os monges de Cluny atribuem o livro, daí seu nome. Em princípio, a obra foi atribuída a ele para que tivesse maior divulgação.

Codex Calixtinus-2b-WEB.jpg

A Xunta de Galicia concordou em promover a inclusão do Codex Calixtinus

no registro “Memória do Mundo” da UNESCO,

destinada à proteção do patrimônio documental e bibliográfico.

Os séculos 12 e 13 são tradicionalmente considerados a época de ouro da peregrinação a Santiago. A confluência de interesses entre os reis (de Alfonso II a Alfonso VII ou Sancho Ramírez), o Vaticano (os papas Calixto II e Alexandre III), as ordens monásticas (Cluny e Cister) fazem com que a popularidade do Caminho de Santiago seja um foguete.

Milhares de peregrinos de toda a Europa fazem uma peregrinação a Compostela com sua bengala e seu cantil de cabaça. A vieira obtida creditará, no regresso, a sua estadia em Compostela.

CÓPIAS DO CODEX CALIXTINUS
Copia Codice.jpg

O Liber Codex Calixtinus foi escrito para dar prestígio a Compostela e à Galiza e para as conectar com o resto da Europa. Nele se cria a lenda do aparecimento de Santiago ao Imperador Carlos Magno e sua chegada a Compostela.

No S. XII, várias reproduções do Códice de Calixtino foram feitas em Compostela com o objetivo de difundir o culto e a peregrinação a Santiago por toda a Europa, atingindo importantes centros de culto e intelectuais da época em todo o continente.

Uma das cópias (do século XII) está no arquivo de San Pietro c. 128 da Biblioteca Apostólica do Vaticano.

Outra cópia (do século 14, cerca de 1325) está na Biblioteca Histórica Geral da Universidade de Salamanca.

As cópias do Liber Sancti Iacobi do Vaticano e de Salamanca tomam como modelo o códice Compostela e incluem miniaturas que mostram a cena do encontro entre Santiago e o imperador. São dois dos três únicos códices de Calixtin iluminados (além do original de Santiago de Compostela) e permitem observar detalhes gráficos perdidos na Compostela original, como o rosto do imperador Carlos Magno.

Copia Codex-Vaticano-WEB.jpg
Copia Cox Univ Salamanca-WEB.jpg
MAPA DE SAWLEY
Mapa de Sawley.jpg

Pertence à Biblioteca Parker, Corpus Christi College, University of Cambridge.

O mapa de Sawley (datado de cerca de 1190) foi descoberto na biblioteca da Abadia de Sawley, um mosteiro cisterciense em Yorkshire. É um dos primeiros mapas mundiais europeus e é considerado o mapa enciclopédico mais antigo existente (aspectos geográficos e históricos, bíblicos e lendas estão representados) das Ilhas Britânicas.

Revela o que se conheceu na Europa do Reino da Galiza no século XII, durante o qual a Galiza teve um grande florescimento cultural, económico e institucional. O mapa coloca a Catedral de Santiago como o edifício mais importante da Europa, representando-a com um tamanho maior que a Basílica de São Pedro em Roma.

CONCESSÃO DE INDULGÊNCIA PLENÁRIA À PEREGRINAÇÃO A SANTIAGO
"GANHE O JUBILEU"

No ano de 1120, o Papa Calisto II concede a Compostela o privilégio de ser Anos Santos ou Anos Jubilares todos os anos em que 25 de julho (dia de Santiago) cai em um domingo, o que acontece a cada 6, 5, 6 e 11 anos.

Isso é confirmado em 1179, pela bula Regis Aeterni do Papa Alexandre III.

Inicialmente a concessão da indulgência plenária não era algo estável, discute-se entre os historiadores quando se fez algo definitivo, alguns dizem que ocorreu na primeira metade do século XV (ano sagrado de 1428 ou 1434), outros que foi necessário esperar até o ano sagrado de 1484, no qual o Papa Sisto IV estabeleceu a confirmação definitiva.

Atualmente, o ano sagrado se abre com a abertura da Porta Santa no dia 31 de dezembro do ano anterior, à tarde. Do lado de fora, o arcebispo de Santiago bate três vezes na parede que cobre a porta com um martelo de prata. A porta permanecerá aberta pelos próximos doze meses e será o acesso que os peregrinos usarão tradicionalmente para entrar na catedral.

Puerta Santa Catedral de Santiago-WEB.jp
PUERTA-SANTA-DE-SANTIAGO-2-WEB.jpg

APERTURA DE LA PUERTA SANTA 31-12-2020

Apertura puerta santa-2021b-WEB.jpg
Alfombra floral-puerta Santa-web.jpg
Apertura puerta santa-2021a_WEB.jpg
CONDIÇÕES PARA VENCER O JUBILEU

A indulgência plenária (perdão de todas as penalidades pelos pecados cometidos) é concedida a todos os peregrinos que preencham as seguintes condições:

  • Primeiro: Visite (por qualquer meio) no Ano Santo a Catedral de Compostela onde se encontra o Túmulo de Santiago el Mayor.

  • Segundo: Rezar uma oração (o Credo, o Pai Nosso e pedir as intenções do Papa). Recomenda-se assistir à Santa Missa.

  • Terceiro: Receber os Sacramentos da Penitência e da Comunhão, no período entre os quinze dias anteriores e posteriores à visita a Compostela.

Quando um peregrino preenche as condições para obter a indulgência plenária, diz-se que "ganhou o jubileu"

Os ritos de entrar pela Porta Santa na catedral, abraçar a estátua do apóstolo no altar-mor e rezar na cripta diante da arca que contém as relíquias, não são necessários nem suficientes para ganhar o jubileu.

A primeira condição pode ser substituída pela seguinte:

  • Se um peregrino morrer durante a viagem ou na própria cidade de Santiago, com a intenção de cumprir as outras duas, automaticamente ganha a indulgência plenária.

  • Se um peregrino em um Ano Santo está ferido ou se sente mal e não pode chegar a Santiago, ele pode obter a indulgência plenária se visitar a Igreja de Santiago de Villafranca del Bierzo e cumprir as outras duas condições.

  • Se um peregrino visitar a catedral de Santiago em 25 de julho (festa de Santiago) de qualquer ano e cumprir as outras duas condições.

  • Se um peregrino visitar a Catedral de Santiago em 21 de abril (festa de dedicação da catedral) de qualquer ano e cumprir as outras duas condições.

  • Se um peregrino visitar a Catedral de Santiago no dia 30 de dezembro (festa da transferência do corpo do apóstolo para a Galiza) e cumprir as outras duas condições.

 
 
RECUSA DE PEREGRINOS À COMPOSTELA

Por várias razões, as peregrinações começam a diminuir

SÉCULO XIV

É um século em que houve muitos eventos negativos:

O sentimento de pobreza intelectual cresce  

Petrarca inicia campanha de resgate da cultura clássica. Ele acreditava que, após a queda de Roma, a criação artística e literária havia caído em seu abismo sem fundo e que as musas haviam ido para o exílio.

Petrarca-web.jpg
Guerra dos Cem Anos  

Um conflito entre a Inglaterra e a França se espalhou para suas áreas de influência, mantendo conflitos intermitentes por 116 anos.

Guerra de los cien años-web.jpg
Pequena Idade do Gelo ou Pequena Idade do Gelo

Depois de um período quente denominado Melhor Clima Medieval (séculos 10 a 14), devido a várias causas, como baixa atividade solar, aumento da atividade vulcânica, interações oceano-atmosfera, variabilidade natural do clima e despovoamento da Europa Por causa da Peste Negra, crises intermitentes de frio ocorreram que afetaram o hemisfério norte, especialmente a Europa, do início do século XIV a meados do século XIX. Houve três pontos baixos: um em 1650, outro por volta de 1770 e o último em 1850. Milhões de pessoas morreram de frio. Enormes geleiras se espalharam pela Europa, os rios permaneceram congelados por muito tempo e os esquimós podiam descer de caiaque até a Escócia.

Tamesis congelado-WEB.jpg
Peste Negra (1347 a 1353)

É a pandemia de peste mais grave de toda a história da humanidade. Começou na Ásia e se espalhou pela Europa por meio de rotas comerciais. Viagens longas criam problemas. O número de mortes varia muito de uma região para outra, enquanto algumas foram devastadas, outras quase não sofreram seus efeitos. De acordo com as estimativas atuais, entre 75 e 200 milhões de pessoas morreram. Por outro lado, foram imediatamente considerados culpados e os judeus foram acusados de causar a pandemia através do envenenamento e envenenamento de poços, o que provocou a extinção das comunidades judaicas em certas localidades.

Peste negra-WEB.jpg
SÉCULO XV
Capitulações de Granada (2-01-1492)

As Capitulações de Granada realizam-se nas quais o rei muçulmano Boabdil entrega as chaves da cidade e da Alhambra aos Reis Católicos. Com a conquista de Granada, os Reis Católicos encerram a Reconquista.

Santiago Matamoros não é mais necessário.

Capitulaciones de Granada-WEB.png
Discovery of America (12-10-1492)  

Descobrimento da América. Colombo demonstra aos cidadãos europeus que o mundo não acaba em Finisterra, que além existem outras terras e não outros mundos fora da Terra.

DESCUBRIMIENTO DE AMERICA-WEB.jpg
SÉCULOS XVI e XVII
A Terra não é mais o centro do Universo

Em 1543 é publicada a obra de Copérnico "Sobre as revoluções das esferas celestes", a Terra gira em torno do Sol. Em 1610, Galileu publica o "Sidereus Nuncius" ("O Mensageiro Sideral"), a Lua tem montanhas e vales , Vênus tem fases, Júpiter tem satélites que giram em torno dele. Quer dizer,

Finisterre não é o fim do mundo.

Copernico-WEB.jpg
Galileo-EWEB.jpg
Protestantes dissuadem seus seguidores de peregrinar a Compostela

Lutero afirma o seguinte: "Quer dizer, não se sabe se há Tiago ou um cachorro ou um cavalo morto ..." ... portanto, deixe-o deitar e não vá lá ... ".

Lutero-WEB.jpg
Escondendo os restos mortais de Santiago Apóstol

Em 1589, Juan de Sanclemente y Torquemada (arcebispo de Santiago no período 1587-1602) esconde os restos mortais do Apóstolo Santiago sem avisar a ninguém. De acordo com a ata do Capítulo da Catedral, eles se escondem diante da ameaça do corsário Francis Drake.

Como resposta da Inglaterra ao ataque malsucedido da Armada Invencível, o corsário inglês havia atacado a cidade de La Coruña meses antes e podia-se suspeitar que um de seus alvos poderia ser um centro do cristianismo como Santiago de Compostela.

A historiadora Ofelia Rey, professora de História Moderna da Universidade de Santiago de Compostela, afirmou que “os restos mortais do Apóstolo Santiago estiveram escondidos desde finais do século XVI até finais do século XIX, sem que ninguém os procurasse, Drake's foi um pretexto bastante. grosseiro, porque não era essa a causa ”.

Naquela época, estava sendo criada a lipsanoteca do mosteiro de El Escorial , com a idéia de reunir as relíquias mais destacadas do mundo. O cronista Ambrosio de Morales, enviou a Felipe II um relatório muito crítico sobre o cuidado com as relíquias distribuídas ao redor da catedral. Um relatório posterior recomendou a Felipe II que os restos mortais do Apóstolo Santiago fossem levados para o Escorial. Além disso, durante uma ação judicial entre os cinco bispados da coroa de Castela e a catedral de Compostela, um dos advogados castelhanos baseou sua defesa no fato de que a documentação da catedral de Santiago e os restos mortais do apóstolo são falsos, portanto, é solicitado uma inspeção visual deles.

Segundo Ofelia Rey, os restos mortais do apóstolo estão escondidos por medo de que acabem em outro lugar que não a catedral de Santiago.

Como conseqüência, em 25 de julho de 1867, apenas algumas dezenas de peregrinos chegaram a Compostela.

 
SUBA DE PEREGRINOS PARA COMPOSTELA
Cstedral de Santiago-2-web.jpg

Em 1879, o arcebispo Payá Rico descobriu os restos mortais do apóstolo e obteve das autoridades eclesiásticas e científicas espanholas da época a aprovação da autenticidade das relíquias, o que foi ratificado pelo Papa Leão XIII na sua Bula Deus Omnipotens.

No último quartel do século XX ressurgiram as peregrinações a Santiago, com destaque para o Senhor Víctor Vázquez Portomeñe (Ministro da Educação, Ministro das Relações Institucionais, Ministro da Cultura, Conselheiro para os Assuntos Parlamentares da Xunta de Galicia; Senador espanhol) e o senhor Elías Valiña Sampedro (pároco de O Cebreiro).

O impulso definitivo para a peregrinação foram as visitas a Compostela de los Papas; João Paulo II em 1982 e em 1989 por ocasião da Jornada Mundial da Juventude, e Bento XVI no Ano Santo de 2010.

Victor_Vazquez_portomeñe-WEB.jpg

Víctor Vázquez Portomeñe em fase de Conselheiro da Xunta de Galicia, o primeiro programa de celebração e divulgação do Ano Santo Jacobino foi desenvolvido em 1993 e foram aprovadas as Leis do Patrimônio Cultural da Galiza (Lei 8/1995) e a Lei de Proteção . das estradas de Santiago (Lei 3/1996).

Elías Valiña Sampedro, em 1982 dirigiu a publicação do "Guia do Peregrino. Caminho de Santiago". A partir de 1985, como Comissário Coordenador do Caminho, promoveu a criação da maioria das associações jacobinas espanholas e dirigiu o Boletim do Caminho de Santiago em sua primeira fase.

Estudante do Caminho de Santiago, recuperou trechos perdidos do Caminho da França que marcou com setas amarelas da França a Santiago.

Elías_Valiña_Sampedro-WEB.jpg
O CAMINO DE SANTIAGO É MAIS "O EIXO INTEGRANTE DA EUROPA"

A União Europeia está a ser construída. É interessante promover mais uma vez o Caminho de Santiago para contribuir para a união dos vários países europeus.

Atualmente, o Caminho de Santiago é um espaço ligado à ideia de Europa. Por toda a parte proliferam associações, fraternidades, confrarias, centros de estudos e institutos cujo propósito é o estudo e a divulgação do acontecimento jacobino e a sua projecção na história e na cultura europeias.

Ao mesmo tempo, as peregrinações voltam a vigorar. Razões espirituais, culturais, históricas, artísticas, esportivas movem pessoas de todas as nacionalidades e ideias a viajar pelo Caminho de Santiago a Compostela.

O Caminho a Santiago foi e é uma fonte de transmissão de cultura e arte.

.

Em 1987, o Conselho da Europa concedeu à estrada o título de "Rota Cultural Europeia".

Em 1993, o Caminho de Santiago foi declarado Patrimônio Mundial pela UNESCO.

PEREGRINAÇÃO A SANTIAGO NO SÉCULO 21
Plan estrategico-1-WEB.jpg
Plan estrategico-2-WEB.jpg
 
 
ROTAS DO CAMINO DE SANTIAGO

As diferentes rotas percorridas pelos peregrinos que vão a Santiago de Compostela em peregrinação são chamadas de Caminho de Santiago.

Pode-se dizer que existem tantas rotas do Caminho de Santiago quanto peregrinos.

No entanto, oficialmente certas rotas foram estabelecidas

para que os peregrinos tenham um mínimo de serviços e sinalização.

Na Espanha, são mais de cinquenta e há centenas em toda a Europa.

Para uma rota ser o Caminho de Santiago

Deve ter uma história documentada da passagem de peregrinos e da recepção de caminhantes por hospitais ou abrigos.

A rota mais conhecida é o "Caminho Francês", declarado Patrimônio da Humanidade em 1993. Em 1998, a UNESCO também declarou os Caminhos de São Tiago na França como Patrimônio Mundial (Caminho de Tuy, Caminho de Limoges, Caminho de Tours e Caminho de Arles ou Toulouse). Em 2015, também foram declarados Patrimônios da Humanidade: o Camino de la Costa, o Camino Primitivo, o Camino Lebaniego e o Camino Vasco del Interior. Mas existem muitas outras rotas.

Rutas oficiales del camino de santiago-1
SINALIZAÇÃO DAS ROTAS OFICIAIS
A CASCA DA VIEIRA

A concha de vieira, também conhecida como concha de Santiago, é o símbolo quintessencial das várias rotas oficiais para Santiago. No entanto, antes de o Caminho de Santiago ser estabelecido, ele já tinha um significado, uma vez que aparece esculpido em vários túmulos dos primeiros cristãos.

No início do caminho para Santiago, quando os peregrinos chegavam a Santiago, adquiriam uma concha de vieira que colocavam na capa ou chapéu para indicar que haviam chegado a Compostela.

Concha de vieira natural-2-WEB.jpg
SETAS AMARELAS

Eles indicam a direção a seguir ao atingir um determinado ponto. Eles são pintados nas árvores, nas postagens, no chão, nas paredes ...

A ideia surgiu com o P. Elías Valiña (pároco de O Cebreiro) e mais tarde foi seguida pelas Administrações Públicas e pelas Associações dos Amigos do Caminho.

Na imagem você pode ver Aida Menéndez Lorenzo, presidente da associação “Camiños a Santiago pola Ribeira Sacra”, pintando uma seta amarela em um semáforo em Monforte de Lemos.

Aida pintando flecha amarilla-WEB.jpg

Atualmente, para indicar que estamos a caminho de Santiago, está inserido nas paredes, marcos, placas, painéis informativos, abrigos, é um logotipo de concha de vieira formado por linhas amarelas (que simulam os canais da concha) sobre um fundo azul. Estas cores são utilizadas, pois são as cores oficiais da bandeira da União Europeia.

Logotipo del Camino de santiago-WEB.jpg
LA VIEIRA SHELL LOGO
MARCADORES

Em certos pontos das estradas de Santiago, as Administrações Públicas colocaram marcadores com o logotipo da concha de vieira gravado no lado mais visível para o peregrino, para indicar que se encontra em uma estrada oficial para Santiago. A orientação do logotipo não indica a direção a seguir, apenas que está na estrada, a direção é indicada pelas setas amarelas. Na Galiza, também são indicados os quilómetros que faltam para chegar a Santiago.

Mojon en el camino-WEB.jpg
 
O MÍSTICO DA ESTRADA

O misticismo tenta conectar espiritualmente as pessoas com o extra-terreno.

Na escola neoplatônica, a iluminação interior da alma era buscada pelo aprofundamento da inteligência intuitiva ao invés da inteligência puramente racional. As experiências místicas não podem ser racionalmente compreendidas ou expressas em palavras, não podem ser verificadas pela razão ou pelos sentidos, mas podem ser sentidas. Trata-se de realizar uma atividade espiritual com o objetivo de fundir a alma humana com a divindade.

Na maioria das vezes, a sociedade atual se interessa apenas pelas coisas e preocupações materiais ou terrenas, esquecendo-se da conexão com o transcendente, levando em consideração o lado místico.

ANTONIO MACHADO

("Proverbios y Cantares" del libro Campos de Castilla)

Caminante, son tus huellas

el camino y nada más;

Caminante, no hay camino,

se hace camino al andar.

Al andar se hace el camino,

y al volver la vista atrás

se ve la senda que nunca

se ha de volver a pisar.

Caminante no hay camino

sino estelas en la mar.

Para Antonio Machado, só o que é vivido importa: "Caminante, as tuas pegadas são o caminho, e nada mais ...", para viver é preciso decidir caminhar no caminho, pouco importa o que se quer e o imagina.

LEÓN FELIPE

(Ven con nosotros)

 

Cuando me han visto solo y recostado

al borde del camino,

unos hombres con trazas de mendigos

que cruzaban rebeldes y afanosos

me han dicho;

–Ven con nosotros, peregrino.

Y otros hombres con portes de patricios

que llevaban sus galas intranquilos,

me han hablado lo mismo:

–Ven con nosotros, peregrino.

Yo a todos los he visto

perderse allá a lo lejos del camino…

y me he quedado solo,

sin despegar los labios, en mi sitio.

O caminho é uma experiência única, contagiosa e feliz que não pode ser vivida se não fizermos o caminho.

MANEIRAS DE REALIZAR A MANEIRA

O caminho pode ser feito com um duplo objetivo:

Por um lado como um lazer para desfrutar da natureza, da paisagem, dos monumentos, dos alimentos, encontrar novas paisagens, novas pessoas, novos lugares, e por outro, como uma reflexão sobre si mesmo e sobre os ensinamentos que os tempo de vida.

  • Caminhar sozinho permite refletir sobre a vida, sobre a importância de cada momento, sobre o passar do tempo, a forma de enfrentar a existência e descobrir novos horizontes. Cada pessoa tem que percorrer o seu caminho “Caminhante não há Caminho” e tem que decidir percorrê-lo enfrentando a incerteza do que vai acontecer.

  • Caminhar em grupo nos permite compartilhar experiências com outros peregrinos.

Em ambos os casos, quer caminhemos sozinhos ou em grupo, podemos e devemos compreender os vestígios (objectos, edifícios, ...) que deixaram aqueles que nos precederam na estrada, desde os tempos antigos até aos dias de hoje. Para ter uma boa memória da estrada, é conveniente andar leve, sensível (captando tudo), livre (sem amarras).

Fazer o Caminho é uma atividade mística.

É refletir sobre si mesmo, sobre a natureza,

nas relações sociais de nosso tempo e de outros tempos,

sobre o transcendente.

A forma material como o caminho é feito é secundária: pode ser feita a pé, a cavalo, de bicicleta ou de carro.

O Cabildo Compostelano não considera que a estrada possa ser feita de carro, acho que se enganam. Existem muitas pessoas mais velhas e crianças que não conseguem realizar o esforço físico dos outros procedimentos, mas podem realizar a mesma ou maior atividade mística levando o carro.

Caminhar faz você colocar o piloto automático em muitos momentos e é aí que entra o seu eco interior: você ouve o que o machuca física e emocionalmente e entende a que quer voltar e para que não. O Caminho é uma cura maravilhosa.

Descobri que era capaz de ser independente. Ir sozinho, conhecer muitas pessoas e me divertir muito me mostrou que eu poderia andar pelo mundo sozinho. Não estamos acostumados a ir sozinhos a lugares que não conhecemos. Nunca viajei sozinho. Descobri que ninguém te come.

Mesmo que você vá com pessoas, você vai sozinho: tem que andar no seu ritmo e ficar sozinho com você. É fundamental ir no seu ritmo e que cada um chegue na hora que chega. Você não perderá nada, encontrará alguém que o ajudará.

.

“É essencial seguir o seu caminho e ficar sozinho com o seu eco interior. É uma cura maravilhosa "

.

Dolores Redondo

 
ACREDITAÇÃO OFICIAL DA REALIZAÇÃO DA ESTRADA
CREDENCIAL DO PEREGRINO

A credencial é um documento que atesta que uma pessoa está fazendo o Caminho de Santiago e, portanto, é um peregrino. inicialmente era uma carta emitida pelo pároco da paróquia a que pertencia a pessoa ou autoridade semelhante. A grande variedade de estradas e o elevado número de peregrinos e origens levaram à elaboração de um modelo oficial de acreditação.

MODELO OFICIAL DA CREDENCIAL

Hoje existe um modelo oficial de credencial distribuído e aceito pelo Escritório de Peregrinação da Diocese de Santiago. Pode ser obtido solicitando-o pessoalmente na Sala de Acolhimento do Peregrino ou em outras instituições autorizadas pela Catedral de Santiago para distribuição, como paróquias, Associações de Amigos do Caminho de Santiago, albergues de peregrinos, confrarias, etc. Na Espanha e fora da Espanha, algumas associações relacionadas com a peregrinação foram autorizadas a distribuir suas próprias credenciais com uma referência ao objetivo da peregrinação na Catedral de Santiago.

MODELO CREDENCIAL-WEB.jpg
Modelo credencial-2-WEB.jpg

A credencial oficial e outras reconhecidas pela Catedral de Santiago são impressas em papelão e consistem em dezesseis páginas que se abrem em forma de sanfona. As primeiras páginas estão ilustradas na foto que acompanha o texto. A primeira página funciona como uma carta de apresentação e deve ser preenchida na associação de distribuição com as informações do peregrino. Também existe um espaço na parte superior para o carimbo da entidade que entregou a credencial; No final da mesma página, a data e o selo da Catedral serão colocados assim que a peregrinação for concluída.

EXEMPLO

Você deve coletar selos nos locais por onde passar na "Credencial do Peregrino", que atua como um certificado de passagem. São preferidos os carimbos de igrejas, albergues, mosteiros, catedrais e todos os locais relacionados com o Caminho, mas na ausência destes, também pode ser selado noutras instituições: câmaras municipais, cafés, etc. A credencial deve ser carimbada duas vezes ao dia, na saída e chegada da etapa correspondente, incluindo a data correspondente, para que se veja que o peregrino retomou o Caminho no mesmo lugar onde o havia deixado ( deve sempre selar no local onde começa, mesmo que já o tivéssemos selado no mesmo local no final da etapa anterior).

credenciales para compostela-WEB.jpg

A credencial é essencial para poder usar os abrigos ao longo do caminho e obter a Compostela

ACREDITAÇÃO DA PEREGRINAÇÃO
AO TÚMULO DE SANTIAGO - LA COMPOSTELLA

Quando a peregrinação à Tumba de Santiago foi institucionalizada, adquiriu considerações sociais e religiosas, portanto, era necessário comprovar que ela havia sido realizada. Inicialmente foi utilizada uma insígnia (a vieira) que só foi adquirida em Santiago. Esses crachás eram fáceis de falsificar, por isso foram vendidos na entrada de Santiago, o que levou o Papa a decretar a pena de excomunhão para os falsificadores. Por essa razão, no século XIII, as chamadas cartas de prova foram estabelecidas como acreditação, que era muito mais difícil de falsificar. Essas cartas são a origem da Compostela.

O boom do turismo fez com que o Cabildo da Igreja Metropolitana de Santiago temesse que o esforço e sacrifício em expiação pelos pecados da peregrinação a pé, se tornasse uma atividade lúdica para passar as férias, por isso só é concedido a "Compostela" para quem chega a Santiago a pé, de bicicleta ou a cavalo por motivos religiosos e / ou espirituais.

CONDIÇÕES PARA OBTER A COMPOSTELLA

Faça a peregrinação por motivos religiosos ou espirituais.

Faça os últimos 100 km ou os últimos 200 km a pé ou a cavalo. de bicicleta.

Apresente a credencial perfeitamente carimbada para justificar que as condições exigidas foram atendidas.

Crianças e a peregrinação

As crianças que fazem a peregrinação com os pais ou em grupos, e que receberam o sacramento da Comunhão, ou que têm a capacidade de compreender o que significa a natureza espiritual ou religiosa do Caminho, podem receber a “Compostela”. Se não tiverem maturidade suficiente devido à pouca idade, recebem um certificado especial com seus nomes. No caso de bebés ou crianças muito pequenas, os seus nomes constam da “Compostela” dos pais ou do adulto acompanhante.

COMPOSTELLA TEXT

A Compostela é escrita em latim. Sua tradução para o espanhol é a seguinte:

O Cabildo desta Santa Igreja Apostólica e Metropolitana Catedral de Compostela, guardiã do selo do Altar de Santiago Apóstol, a todos os Fiéis e peregrinos que chegam de qualquer parte do Orbe da Terra com atitude de devoção ou em razão de voto ou promessa, peregrinação ao Tumba do Apóstolo, Nosso Patrono e Protetor da Espanha, credencia todos aqueles que observam este documento que:

...

Ele visitou com devoção e de maneira cristã este santíssimo templo, depois de ter percorrido os últimos cem quilômetros a pé e a cavalo ou de bicicleta os últimos duzentos em sentido cristão (pietatis causa).

Pela fé que vos dou este documento endossado com o selo desta mesma Santa Igreja.

Dado em Santiago de Compostela no dia… mês… ano do Senhor…

O Decano da Catedral SAMI de Santiago de Compostela.

BENEFÍCIOS MATERIAIS DA COMPOSTELA

No século XVI, os Reis Católicos fundaram a Fundação Hospital Real e ordenaram a construção do edifício que hoje ocupa o Hostal de los Reyes Católicos. Os peregrinos ao apresentar a Compostela adquiriram o direito de serem hospedados gratuitamente por três dias. Em 1954 tornou-se Parador de Turismo que, segundo o ESCRITÓRIO DE BOAS-VINDAS DO PEREGRINO, continua a oferecer refeições gratuitas aos primeiros peregrinos que chegam diariamente à Pousada com a "Compostela", ou uma fotocópia da mesma. .

EXEMPLO
Compostela-2010-WEB.jpg
DIPLOMA DE TER CONCLUÍDO O CAMINHO

Se, ao apresentar o credenciamento devidamente preenchido, se afirme que a viagem foi realizada por motivos culturais, mas não religiosos, pode-se solicitar um diploma para lembrar que o Caminho de Santiago foi concluído.

Diploma de haber realizado el camino-WEB
TRATAMENTO DIGITAL DAS INFORMAÇÕES DO PEREGRINO
REGISTRO DIGITAL DE PEREGRINOS

A partir do mês de julho de 2020, o peregrino pode se cadastrar online no site do Pilgrim's Office. No seguinte endereço você pode escolher o idioma usado:

 

https://cedral.df-server.info/agencias/Banderas.aspx?ind=1

Eleccion de idioma en el registro del pe

O formulário a preencher é o seguinte:

 

https://cedral.df-server.info/agencias/Individuo.aspx?lang=2

FORMULARIO DEL REGISTRO ONLINE DEL PEREG
CREDENCIAL DIGITAL DO PEREGRINO

A partir de 1º de janeiro de 2021, os peregrinos, por meio de um aplicativo móvel, poderão cadastrar sua rota em uma credencial digital, na qual poderão entrar nos locais por onde passaram.
Haverá um SITE OFICIAL no qual os estabelecimentos que fornecerem selos às credenciais de peregrino poderão se cadastrar para digitalizar sua imagem e obter um código QR com o qual, ao ser lido pelo peregrino com seu celular, será automaticamente incorporado em sua credencial digital.
A imagem dos selos incorporados virtualmente será a mesma da credencial em papel com a qual coexistirá.

Ao não usar a credencial em papel, os contatos interpessoais são evitados e os procedimentos são agilizados. Além disso, será sincronizado com o cadastro digital dos peregrinos, agilizando assim todo o processo e os responsáveis pela Peregrinação podem fazer uma estimativa do número de peregrinos que chegarão a Santiago nas próximas datas e aplicar os recursos daqueles que ter.

PLATAFORMA ONLINE PARA FACILITAR A OBTENÇÃO DA COMPOSTELA

O Pilgrim Welcome Office anunciou o desenvolvimento de uma plataforma online para facilitar a obtenção da Compostela pelos peregrinos.

O peregrino se cadastrará com antecedência no site do Pilgrim Office e preencherá o formulário enviado. Desta forma, os dados são antecipados para quando a Compostela deve ser obtida e o tempo de atendimento é acelerado.

Assim que o peregrino terminar o passeio e chegar ao Centro de Recepção, localizado na rua Carretas de Santiago, poderá retirar um ingresso que permite a fila virtual. Os tíquetes incluem um código QR, por meio do qual o usuário pode verificar o status da fila e sua posição em tempo real, além de uma estimativa do tempo de espera. Dessa forma, cada pessoa pode calcular o momento em que deve se apresentar ao escritório.

RESERVA ON-LINE EM HOSTELS PÚBLICOS

A Xunta desenvolveu uma plataforma online alberguesxacobeo.gal , para reservar uma vaga nos albergues públicos do Caminho de Santiago. Através dele pode aceder a um motor de busca com todos os estabelecimentos da rede pública, localizar os hostels consoante o percurso que percorre e fazer reservas desde o dia anterior até às 13:00. para ir passar a noite. O nome, email e data da reserva e opcionalmente um número de telefone de contato são solicitados. As reservas podem ser feitas para grupos de até cinco pessoas. Você não precisa se registrar, mas isso irá acelerar o processo.

Alternativamente, você pode conseguir uma vaga ao chegar no estabelecimento, desde que tenha capacidade.

A Xunta está desenvolvendo outra plataforma semelhante para reservar uma vaga online em albergues privados.

JUBILEE contra COMPOSTELLA

O Jubileu é uma graça espiritual pela qual o perdão de todos os pecados cometidos é obtido. Para obtê-lo, você não precisa percorrer a estrada, basta visitar a Catedral de Santiago no Ano Santo usando qualquer meio de transporte, rezar e pedir ao Papa e confessar e receber a comunhão.

Entrar pela porta sagrada, abraçar o apóstolo e rezar na cripta diante da arca que contém as relíquias são ritos instituídos pela tradição que não são necessários nem suficientes para obter o Jubileu.

A Compostela é um documento que certifica que os últimos 100 km de um caminho oficial ou os últimos 200 km de bicicleta foram percorridos a pé ou a cavalo por motivos religiosos ou espirituais, em qualquer ano e em qualquer data. Não há necessidade de visitar a catedral, orar, confessar-se ou tomar a comunhão.

Consequentemente, as quatro combinações possíveis podem ser fornecidas:

  • Obtenha o Jubileu e a Compostela.

  • Obtenha o Jubileu, mas não a Compostela.

  • Obtenha a Compostela, mas não o Jubileu.

  • Não obtenha nem a Compostela nem o Jubileu. Se for credenciado para ter concluído o percurso, pode ser solicitado um diploma / lembrete

 
 
DEVOÇÃO POPULAR E ICONOGRAFIA DE SANTIAGO

Existem inúmeras crenças / lendas sobre os milagres realizados pelo Apóstolo Santiago, pelos quais ele professou uma grande devoção, do qual resultou a criação de numerosos templos dedicados ao Apóstolo e numerosas representações em pintura e escultura. Não só na Europa, desde o século XVI, há uma grande devoção a Santiago na América Latina.

Segundo Payo Hernández, Santiago é o apóstolo mais representado e com diferentes caracterizações ao longo do tempo. Vários tipos de representações foram feitas:

  • Aqueles que se referem ao seu martírio.

  • Aqueles que se referem à transferência de seu corpo.

  • Aqueles que se referem à prisão dos bois para indicar o local de sepultamento de seus restos mortais.

Existem várias caracterizações de Santiago:

  • Como apóstolo (com túnica, manto, livro sagrado, pés descalços e etiqueta com o seu nome ou frase dos textos sagrados).

Santiago-Apostol-2-WEB.jpg
Santiago-Apostol-3b-WEB.jpg
  • Como uma majestade sentada (ele é representado como um apóstolo, mas sentado em uma suntuosa cadeira ou trono e um bastão arquiepiscopal em sua mão que lembra o bastão em que os apóstolos se apoiavam ao caminhar. Às vezes, uma coroa é colocada sobre ele).

Santiago-Majestad-1-WEB.jpg
  • Como peregrino (túnica curta, capa larga com capa, chapéu de aba larga com vieira, cajado com abóbora pendurada e bolsa).

Santiago-Peregrino-1-WEB.jpg
Santiago-Peregrino-4-WEB.jpg
  • Como cavaleiro / cavaleiro ou matamoros de Santiago (sobre um cavalo branco brandindo uma espada e às vezes carregando um estandarte e aos pés cabeças mouriscas. Às vezes, a cruz da ordem dos Cavaleiros de Santiago está representada no peito do apóstolo).

Santiago-Matamoros-5-WEB.jpg
Santiago matamoros-museo del prado-WEB.j

Por outro lado, o vestuário utilizado reflete a diversidade de usos e modas de acordo com as épocas e áreas geográficas onde as imagens foram feitas.

Alegoricamente, a bolsa simboliza a pobreza e generosidade que todo peregrino deve ter. O bastão de acordo com o livro I do Codex Calixtinus é como um terceiro pé que simboliza a Trindade e a vieira simboliza a virtude da caridade ou boas obras que devem ser realizadas.

Santiago Matamoros é um símbolo da defesa da fé cristã. A espada pode simbolizar o fato de que ele morreu decapitado.

Santiago é o único apóstolo que apresenta tal variedade iconográfica.

COMPONENTES TRADICIONAIS DA ROUPA DO PEREGRINO
Vestimenta del peregrino.jpg
EQUIPAMENTO RECOMENDADO DO PEREGRINO DO SÉCULO XXI

O equipamento a ser percorrido depende de como o percurso é realizado. Se já alugou hotéis, albergues ou pensões ou se vai dormir em albergues ou centros desportivos.

CADA PEREGRINO DECIDE O QUE TRAZER PARA FAZER, MAS EU POSSO FAZER ALGUMAS RECOMENDAÇÕES:

  • Boas botas de caminhada, feitas de material hidrofóbico, com uma grande aderência e sola antiderrapante. O calçado nunca sairá, terá sido previamente utilizado para o adaptar aos pés e verificar que não produz atrito.

  • Alguns chinelos ou sandálias para os períodos de descanso.

  • Uma ou duas bengalas com duplo suporte (ou muletas) dobráveis ​​e ajustáveis ​​em caso de lesão. Também facilitam a passagem de poças e riachos e servem para afugentar animais irritantes.

  • Um boné com viseira.

  • Óculos de sol.

  • Roupas confortáveis, adequadas para a temporada em que a viagem é feita, com variedade de meias de trekking. Mesmo no verão, você deve usar roupas quentes e luvas impermeáveis ​​no inverno.

  • Uma camada de água.

  • Uma mochila anatômica com alças de ajuste acolchoadas largas.

  • Uma cantina.

  • Uma faca multiuso.

  • Uma lanterna.

  • Se você ainda não reservou um quarto com cama segura, deverá levar saco de dormir, tapete, fronha e artigos de higiene pessoal (inclusive papel higiênico).

  • Alguma comida.

  • Documentação pessoal. Além disso, uma corrente com uma placa mostrando: nome e sobrenome, endereço, possíveis reações alérgicas e número de telefone para ligar em caso de emergência ou que nossa carteira seja roubada.

  • A credencial de um peregrino. Sem ela, os abrigos não podem ser usados ​​e não se pode comprovar que o caminho para a obtenção da compostela foi feito.

  • Itens básicos de costura: agulha, linha, pinça.

  • Um caderno, lápis e caneta para fazer anotações, esboçar ou desenhar.

  • Kit básico de primeiros socorros com: algodão, fita adesiva hipoalergênica, ataduras, álcool ou betadine, emplastros, agulhas hipodérmicas e compeed (adesivos, curativos) para bolhas, corta-unhas, protetor solar, vaselina, cuatrocrem, repelente de insetos ...

  • Binóculos 10x25 wp.

  • Uma câmera compacta com uma ampla faixa de distância focal (21 mm a mais de 1000 mm) com controles manuais ou em ponte.

  • Em caso de emergência: telefone sem dados, sem WIFI mas com GPS. Você pode usar o celular que possui desativando a rede de dados e WIFI e usar o Google Maps off-line baixando previamente o mapa do local.

Para mais informações, clique no seguinte link ou imagem:

Fisioterapia en el camino.jpg
REFRANES POPULARES

"Homem ciente, a estrada é segura"

"Caminho longo, passo curto"

"Caminho de Santiago, tanto o coxo quanto o saudável andam"

"Quem anda com pressa tropeça numa estrada plana"

"Se você está em um caminho estranho, não levante muito sua túnica"

"Na chuva ruim, bom guarda-chuva"

 
 
REQUISITOS PARA UMA ROTA A SER OFICIALMENTE DECLARADA
CAMINHO DE SANTIAGO

Para que uma rota seja oficialmente declarada o Caminho de Santiago, considera-se necessária a apresentação de documentos em que os seguintes elementos sejam justificados:

  • O percurso tem uma história documentada de passagem de peregrinos.

  • O percurso tem uma história documentada de acolhimento de caminhantes em hospitais ou abrigos.

RECONOCIMIENTO OFICIAL DEL CAMINO DE INV
RECONOCIMIENTO OFICIAL DEL CAMINO DE INV

Outros documentos que favorecem a declaração oficial são: existiam estradas romanas antes de serem rotas de peregrinação, vestígios arqueológicos, foram encontrados sinais específicos, cultos e locais relacionados com a peregrinação, tais como: toponímia, tradições locais, documentação de arquivo, literatura deporica ( trata dos eventos e coisas vistas durante uma viagem, histórias de peregrinos que são preservados), textos literários, cartografia histórica, etc.

Enlace-2.jpg